Facebook Dating

Atualidade -

A união entre pessoas ao nosso redor é o principal propósito do Facebook, mas agora esta rede social também te quer ligar a pessoas com interesse nos eventos em comum, que ainda não conheces, mas que te poderão colocar um anel no anelar da mão direita.
Enquanto as autoridades do Reino Unido anunciam ao Facebook a multa de 565 mil euros por violação da lei de proteção de dados (o último e talvez o maior conflito da rede social), a equipa dedica-se a desenvolver e testar o Facebook Dating, a nova funcionalidade que permite a Mark Zuckerberg, CEO da rede social, entrar no mercado dos encontros. Segundo este “há 200 milhões de pessoas listadas como solteiras no Facebook” e, portanto, foi criada a “dating home”, a subpágina OPCIONAL do seu perfil onde estará toda a informação para marcar encontros e conhecer potenciais parceiros.
Com o objetivo de reproduzir a experiência de encontros amorosos online no mundo real, a funcionalidade formata-se num coração, que lhe aparecerá no canto superior direito, para a criação e personalização de um perfil para dating (nome, foto, gostos e interesses). Ao ligar a opção dating poderá ter acesso aos perfis das pessoas que acha interessante, desde que as mesmas não estejam na sua lista de amigos. Se encontrar alguém que lhe agrade terá de desbloquear o seu perfil para se tornar visível a todos os outros membros do grupo ou participantes nos eventos e, por fim, começar a enviar mensagens ao potencial parceiro.
Sobre questões de privacidade, a equipa afirma que não terá de se preocupar: todos os textos de troca de mensagens do Facebook Dating são guardados à parte, sem se misturarem com as conversas do Messenger; para além do perfil e conversas, também os grupos e eventos estarão numa plataforma independente; e poderá bloquear ou desbloquear o Facebook Dating em cada evento, filtrando quais os que está disponível para encontros, ficando então com o perfil ativo para outros utilizadores que também tenham esta funcionalidade ativa para os mesmos eventos.
Se o Facebook Dating, num futuro muito próximo, começar a ser visto como um segundo Tinder, famosa aplicação de encontros cujas ações já começaram a baixar desde o anúncio desta funcionalidade, que impactos poderá trazer?
– A nível social, caso “os solteiros” não consigam marcar encontro com um potencial parceiro, efeitos negativos na autoestima, como a inveja e solidão, serão ampliados?! Ou por sua vez, o número destes utilizadores diminuirá, cujo foi a base da criação da funcionalidade, mas o estado civil “divorciado/a” será multiplicado?!
– Em relação ao número de utilizadores do Facebook, por um lado, poderá aumentar se um especial interesse pelo Dating incentivar a criação de perfil pela primeira vez; ou a duplicação das contas, sendo um novo perfil dedicado exclusivamente à nova funcionalidade – atenção que esta aplicação poderá originar situações bizarras e embaraçosas, como encontrar um parente casado a seduzir a miss t-shirt molhada na pool party do bairro. Por outro lado, apesar da privacidade assegurada, poderá haver uma diminuição do mesmo número caso os utilizadores mais conservadores e tradicionais cancelarem o seu perfil, devido a questões morais, culturais e relacionadas com tabus de caráter sexual.
– Por fim, a nível empresarial, o Facebook continuará a ser a rede social de presença e divulgação de empresas, como as nossas clientes?! O número de participantes em eventos criados poderá aumentar, mas muitos millennials já substituem o Facebook por outros canais de vanguarda… Os seus targets alterar-se-ão tanto que será necessário mudar de estratégia digital?! Embora Mark Zuckerberg diga que não pretende que o Facebook Dating seja uma forma de arranjar mais parceiros sexuais, como o Tinder, mas uma solução para se criar relacionamentos duradouros, não seria melhor este preocupar-se em aproximar o Facebook a um LinkedIn, cujo está cada vez mais presente no digital das organizações?!
Em suma, fica o principal dilema, o Facebook Dating criará ou destruirá relações amorosas, mas também entre empresas e clientes?! Só o futuro, que não será longínquo, mostrará se esta crise de identidade da rede social poderá gerar mais crises nos departamentos de marketing de muitas empresas, criar mais desafios no digital e/ou desenvolver outras e novas potencialidades. Até lá, que o cupido acerte nos corações dos solteiros, que nós acertamos em manter tudo isto simple and social! 😉


Partilhe a sua opinião