Internet Segura

Internet Segura O mundo digital está em constante crescimento. Deste advém inovação, criatividade, mas também vários riscos. Em contrapartida uma série de novos perigos surgem…

Voltar

Internet Segura

O mundo digital está em constante crescimento. Deste advém inovação, criatividade, mas também vários riscos. Em contrapartida uma série de novos perigos surgem com a evolução do digital. No entanto, existem também recomendações e iniciativas para navegar numa Internet Segura.

 

Origem da Internet

A Internet é um sistema global de redes de computadores interligadas. Estas utilizam um conjunto de protocolos para se relacionarem entre si.

Embora tenha surgido no seguimento da Guerra Fria para esconder informações, foi com a Google que cresceu. Em 1997 deu-se o ponto de viragem que deu a conhecer a Internet a um público mais amplo. Começou-se a utilizar a Internet, não só para guardar informação, mas para pesquisa. 

Posteriormente o surgimento das Redes Sociais levou a uma nova finalidade da Internet. A Internet servia agora para comunicar com pessoas por todo o mundo. O Facebook, não sendo a primeira rede social, foi um caso de sucesso. Começou a servir de meio de comunicação e informação. Dessa forma, permitia que as pessoas comunicassem em tempo real.

Ao contrário do Facebook, o Youtube mostrou outra faceta da Internet. O Youtube, por sua vez, mostrou outra faceta da Internet. De um momento para o outro a televisão não era o único meio de entretenimento disponível.

Assim, no mundo digital e consequentemente físico, as empresas tiveram que se adaptar. Dessa forma, perceberam que tinham que estar presentes em todos os canais para chegar ao público.

 

Internet 2.0

A Internet desencadeou uma quarta revolução industrial levando o mundo à Era da Informação. 

Esta nova fase da internet coloca o utilizador numa situação em que não é apenas um espectador, mas um participante. Logo, o utilizador da Internet é incentivado a criar o seu próprio conteúdo para partilhar com os outros.

No entanto, esta abertura para criação de conteúdo e partilha não demonstra uma Internet segura. Pelo contrário, a liberdade dada aos utilizadores é muitas vezes um perigo.

 

Perigos da Internet

Existem vários perigos considerados os mais comuns e graves da Internet. 

Falta de Privacidade é um dos maiores problemas da Internet. A partilha de todo o tipo de conteúdos pode comprometer a integridade dos indivíduos. Por outro lado, as empresas também podem utilizar indevidamente as informações dos consumidores. 

O Phishing, outro perigo, é o nome dado ao envio de e-mails com más intenções. Para roubar dados bem como colocar um vírus no aparelho, deve-se ter cuidado com a receção de e-mails. Às vezes parecem emails fidedignos de instituições, outras vezes parecem promoções de marcas.

Os Malware, terceiro perigo mais comum, são programas criados para causar danos nos computadores. Esta técnica tem como objetivo roubar informações, extorquir dinheiro e/ou monitorar as atividades do utilizador.

As Fake News são um dos problemas cada vez mais recorrentes. Num mundo digital em que as notícias são partilhadas ao minuto acaba por não existir filtros. Muitas notícias são partilhadas sem confirmação dos factos apenas para se ser o primeiro a dar a informação. Outras, por exemplo, são totalmente inventadas para manipular as reações no digital.

Conselhos para uma Internet Segura

Assim, para garantir uma navegação segura, hoje em dia já existem várias iniciativas de sensibilização.

A Comissão Europeia adotou a estratégia para uma Internet melhor para as crianças. Esta garantirá que as crianças gozem dos mesmos direitos em linha e fora dela. Assim, nenhuma criança será excluída, independentemente do seu contexto geográfico, económico e pessoal. Todas as crianças devem ser protegidas, capacitadas e respeitadas em linha.

Esta estratégia pretende promover conteúdos e serviços em linha acessíveis. Logo, adequados à idade e informativos, que sejam no interesse das crianças. Dessa forma, compreende-se uma preocupação crescente por parte da União Europeia.

Quanto aos restantes utilizadores os principais conselhos que se podem dar são:

 

  • Utilizar Softwares originais em vez dos mais simples ou pirateados disponíveis. Estes representam uma ameaça para a segurança dos dispositivos.

 

  • Ter antivírus adequado. Tal como uma casa que precisa de sistema de segurança, também um computador necessita.

 

  • Evitar redes de Wi-fi públicas. Por mais úteis que sejam as redes de wi-fi que se encontram nos sítios públicos recolhem muita informação pessoal.

 

  • Evitar abrir e-mails desconhecidos. Para evitar perigos como o phishing aconselha-se a ter em atenção os domínios incomuns. A mensagem do email também pode indicar perigo. Sejam promessas, erros de português, solicitação de dados privados, etc.

 

Saiba mais através do nosso blog e as nossas redes sociais Facebook e Instagram

Dessa forma, ficou com dúvidas? Pode sempre contactar-nos!

 

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Pedir Orçamento

Veja o seu investimento converter-se em resultados.