Voltar

Ser um vendedor desonesto não traz vantagens

Um vendedor que seja desonesto, aquando da venda, tem maior probabilidade de criar uma má reputação para a empresa e uma má experiência ao consumidor.

Com os atuais tempos difíceis, os vendedores têm que se gerir por quotas mensais. Como tal, recorrem a medidas extremas e em alguns casos desonestas, oferecendo, para além do produto/serviço, uma má experiência ao consumidor.

Um vendedor com quotas de vendas regulares é bem sucedido na empresa. Caso as quotas sejam irregulares ou não existam vendas, o seu emprego passa a estar em perigo. Esta pressão leva a que os vendedores façam de tudo, inclusive mentir, para conseguirem vender.

No processo de venda, começam a ser ditas medidas e processos que o vendedor não tem a certeza que vãos ser cumpridas ou, nos piores casos, tem a certeza que não vão ser cumpridas, utilizando-as para atrair e prender o consumidor.

Contudo, apesar de todo o stress a que um vendedor está sujeito, ser desonesto para com o cliente não é opção, pois as repercussões negativas são sempre superiores às positivas.

Os consumidores, após a venda desonesta, não vão ficar contentes por muito tempo, pois rapidamente se apercebem que certos aspetos não são cumpridos ou certas funcionalidades não estão disponíveis.

Ao aperceber-se que foi enganado, o consumidor sente remorsos por ter efetuado a compra, não voltando a adquirir aquele produto/serviço. Um vendedor que tenha sido desonesto também pode vender produtos não adequados às reais necessidades do seu consumidor.

Esta má experiência pode levar o consumidor enganado a reclamar e na maioria dos casos a expor a situação nas redes sociais, uma ação que normalmente traz má fama às marcas e reduzindo a sua notoriedade.

Fazer um telefonema para a empresa a reclamar já é mau, pois danifica a imagem do vendedor e, por associação, da empresa, mas apesar disso fazer um tweet ou uma publicação no Facebook a reclamar com o mau atendimento pode trazer graves consequências à empresa.

Hoje em dia, todas as marcas lutam para ter uma boa reputação online, sendo que esta é a primeira fonte de informação do consumidor. Um vendedor que omita a verdade e que contribui para uma má experiência pode levar a graves problemas de imagem da empresa.

Outra razão que aconselha os vendedores a serem honestos no processo de venda é a possibilidade de fazer upselling, caso estes mintam ao consumidor esta técnica de vender produtos complementares ou que podem melhorar a utilização do produto comprado só irá aumentar as consequências negativas.

Ser desonesto e fazer upselling traz consequências a longo prazo, pois só se está a aumentar os pontos de contacto do consumidor com uma má venda, trazendo ainda mais remorsos e conceções negativas sobre a empresa.

Da mesma forma que o vendedor não deve fazer upselling, este não pode esperar que seja referenciado pelo consumidor. Ao criar uma má experiência, a probabilidade do vendedor ou da empresa serem referenciados diminui drasticamente.

Um dos maiores problemas em ser um vendedor desonesto passa por criar inimigos internos, ou seja, após a venda, o consumidor é dirigido para outros departamentos, como o de implementação de um serviço ou mesmo o de apoio ao cliente.

Assim que o consumidor se apercebe que foi enganado, vai reclamar com as últimas pessoas com quem falou, e isto é, passar a culpa a pessoas que não têm culpa de o consumidor ter sofrido uma venda desonesta.

Quando os colegas do vendedor se apercebem começam a revoltar-se, pois têm más experiências no trabalho e são mal tratados devido à desonestidade de um vendedor que tentou facilitar o seu trabalho.

Por fim, o grande problema de ser um vendedor desonesto é que aumenta o estereótipo de que todos os vendedores são desonestos e apenas querem vender, não se interessando por qualquer interesse ou necessidade do consumidor.

Quando se pergunta a um grupo de pessoas para associarem uma palavra ao conceito de vendedor, as respostas são sempre pejorativas, confirmando o estereótipo de que todos os vendedores são desonestos.

Sempre que um vendedor faz um venda desonesta está a danificar a imagem do seu emprego, ou seja, em vez de estar a contribuir para melhorar, está a danificar a sua própria imagem.

Um vendedor que seja honesto terá consumidores satisfeitos e, consequentemente, trará receitas à empresa e contribuirá para criar uma melhor imagem dos vendedores, junto das pessoas.

Ser honesto só apresenta mais valias, sendo que este é o caminho a seguir caso um vendedor queira ser bem sucedido e que a empresa onde trabalha cresça e atinja novos objetivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos relacionados