Voltar

A Psicologia inerente ao Call to Action

A Psicologia por trás dos instintos humanos influencia de forma direta e impactante o comportamento dos utilizadores perante o Call to Action.

A psicologia Call to Action

Qualquer web marketer sabe, genericamente, o que é um Call to Action, que como o próprio nome indica é uma “chamada à ação”, ou seja, é um link que visa conduzir os utilizadores a uma ação imediata.

Contudo, será que todos compreendem o seu real significado e a melhor forma de o utilizar?

É importante saber que por trás do conceito Call to Action, ou abreviadamente CTA, existe uma psicologia fascinante que engloba: largura, cor, conteúdo e efeitos de CSS interessantes.

No entanto, a verdade é que esta psicologia vai para muito além destes elementos. Para que os profissionais de marketing possam melhorar a sua performance, é vital que compreendam verdadeiramente a psicologia que existe por trás do call to action, por forma a que este atinja os objetivos pretendidos.

Conhecer a psicologia dos estímulos humanos para o Call to Action é fundamental para corretamente agilizar o processo de otimização das conversões, pois é esta psicologia que explica o que motiva e estimula os comportamentos humanos.

Aqui ficam alguns truques que ajudam a aumentar a eficiência do Call to Action, e que têm por base os estímulos psicológicos humanos.

O CTA e o aumento da expectativa humana

O CTA é parte do progresso lógico de uma landing page ou de um website. Este princípio está enraizado na psicologia, chama-se teoria da carga percetual. A expetativa afeta de forma direta e impactante todos os comportamentos humanos.

Assim sendo, como se consegue capitalizar a expetativa dos utilizadores sobre o CTA?

Tornar o CTA óbvio é um dos mais importantes aspetos. O conjunto de perceções dos utilizadores têm que ser correspondidas pelo que o Admnistrador da página coloca nas suas linhas de visão.

A landing page deverá também estar desenhada com um fluxo lógico. Uma landing page com um design intuitivo e um fluxo lógico, aumentará grandemente a eficiência do Call to Action.

A landing page irá mesmo preparar a mente para a ação ao intensificar a expetativa e a antecipação, criando uma transição mais simples e fluída para o CTA.

O CTA estimula a curiosidade inata ao ser humano

A mente humana é inatamente curiosa sobre o que irá acontecer depois de um CTA.

A curiosidade é um dos mais poderosos instintos humanos e conduz grande parte dos seus comportamentos, pois joga com algo que para o ser humano é extremamente importante: a expetativa de atingir a satisfação.

Posto isto, de que forma se consegue aumentar a curiosidade dos utilizadores?

– Explicar aos utilizadores o que irão ver ou experienciar após o Call to Action e fornecer-lhes um quadro estruturado em categorias mas sem informações específicas.

– Utilizar um copy no CTA que prometa uma descoberta, o revelar de um segredo, ou seja, que dê ao utilizador conhecimento que era até então inatingível.

A psicologia do Call do Action

O CTA alimenta a inclinação humana para a antecipação

Psicologicamente, a antecipação é uma coisa inerente ao ser humano. O ser humano vive constantemente o estado de antecipação.

Como criar sentido de antecipação?

É importante contar uma história. Muitas vezes a história que leva o utilizador a clicar nos botões (ex: Log in ou de Sign Up) é muito mais relevante do que a ação do botão propriamente dita.

Em termos psicológicos, o Call to Action é o climax de uma história. A landing page fornece a introdução e a problematização e as mentes humanas ficam na expetativa do climax. O CTA é esse climax.

A landing page começa com um headline (exposição), depois é construída uma problematização (incentive à ação) através de um copy persuasivo. Por fim, numa erupção gloriosa de energia crepitante e quente, liberta-se o CTA.

É fundamental também que exista um testemunho favorável de uma experiência pós-conversão. Quanto maior o sentido de antecipação do utilizador, maior será a experiência emocional do mesmo enquanto navega na landing page do website.

Um depoimento que realce de forma entusiasta o incrível ato de conversão, aumenta em muito o incentivo à antecipação.

O CTA reforça o sentido psicológico humano de recompensa

Os CTAs entram em correspondência com os comportamentos de recompensa humanos. As pessoas agem com base no que percecionam que será a sua recompensa.

Após receber dada recompensa pelas suas ações, o ser humano desenvolve condições aprendidas que o predispõe a levar a cabo a mesma ação que conduz à mesma recompensa.

Então, como se consegue fortalecer o sentido psicológico de recompensa num CTA?

Ao utilizar linguagem baseada em recompensas e gratificações para o utilizador no próprio CTA.

Prometer uma recompensa ou um prémio, ajudará a revigorar o desejo de receber essa mesma compensação/satisfação, criando CTRs (Click through rate) mais elevados.

Em suma, a psicologia estuda o que motiva o comportamento humano, e é um dos aspetos mais importantes do Marketing.

Como tal, qualquer profissional de marketing que ambicione que os seus CTAs sejam bem sucedidos e se destaquem dos restantes, tem que reconhecer o seu valor e ter algumas noções base dos princípios e dos sentidos psicológicos que incentivam o ser humano à ação pois só assim obterá os benefícios desejados.

 

Descubra outros artigos, como este, no nosso blog e acompanhe todas as novidades nas nossas redes sociais Facebook e Instagram!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos relacionados