Voltar

Como reduzir as taxas de rejeição (bounce rate) de um website?

As taxas de rejeição, ou bounce rate, são uma das métricas que mais condiciona o sucesso de um website. Aqui ficam algumas dicas sobre como reduzi-las.

A taxa de rejeição de um website (Bounce rate) é um dos indicadores do Google Analytics e corresponde à percentagem de visitas que acedem apenas a uma página específica do website antes de sairem.

É fundamental compreender que, o bounce rate, ou seja, as taxas de rejeição de um website, quando é muito elevado tem um efeito pejorativo no mesmo, pois significa que o website não consegue reter os seus visitantes.

As taxas de rejeição (Bounce rate) têm um impacto extremamente negativo nos websites, mas maioria dos webmasters não lhes dá a devida importância. Ainda que seja impossível eliminar por completo as taxas de rejeição, é importante tentar baixá-las o máximo possível por forma a otimizar o website e obter melhores resultados.

Aqui ficam cinco possíveis estratégias a utilizar para baixar as taxas de rejeição:

1) Saber quem visita o website

Para saber quem visita o website e que género de conteúdo apreciam, é necessário analisar o analytics. Prestar atenção por exemplo, à quantidade de novos visitantes que existem e compará-la com o número de visitantes que retornam ao website após a primeira visita.

Esta informação é suficiente para melhor compreender como se deve estruturar a página, que tipo de mensagens se devem colocar e de que forma deve ser criado o copy.

É essencial compreender a audiência antes de mudar seja o que for. Saber a língua que os utilizadores lêem e falam, os seus dados demográficos e interesses, o que é que habitualmente procuram e qual a razão que os leva a visitar o website. Estes são aspectos incrivelmente importantes a ter em conta aquando desta análise.

2) Saber o que os visitantes querem

Atrair o utilizador certo para o website tem tudo a ver com fazer essa segmentação através da correta utilização de keywords. A correta utilização de keywords aumenta o tempo que os visitantes dispendem no website.

Depois de perceber exatamente o que o visitante quer é necessário criar uma estratégia de marketing eficaz que satisfaça as necessidades dos utilizadores e não lhes dê razões para sair do site.

3) Depositar tudo na experiência do utilizador

A experiência do utilizador é tudo. O utilizador deve-se sentir confortável, confiante e esclarecido quando está a visitar um website.

Como tal, uma das estratégias para que isso aconteça é colocar o conteúdo mais importante acima do fold (a parte do website que os visitantes conseguem ver mal entram no website, sem ter que fazer scroll). Se o que os utilizadores procuram não aparecer acima do fold, é mais provável que os visitantes saiam logo.

Tornar a navegação intuitiva evita o “bounce”. Para que o utilizador queira navegar no website, tem que sentir que é fácil, as escolhas de navegação devem ser expectáveis e evidentes.

Um bom design é o pilar de um bom website. Se um website tiver um bom design parecerá profissional, caso contrário, dará a ideia aos utilizadores de que é pouco credível. Websites com um design fraco perdem a legitimidade perante os visitantes.

4) Fazer com que os utilizadores cliquem

Assim que um utilizador clique, deixa de fazer parte das estatísticas de bounce rate, pelo que, é crucial que os visitantes cliquem.

Um website pode ter excelentes headlines, as keywords corretas, óptimas fotografias e um design extremamente cativante, que se os utilizadores não clicarem, a visita será incluída nas taxas de rejeição ou seja tornar-se-á um bounce.

Como se pode aumentar o número de cliques?

Adicionar caminhos de conversão em todas as páginas do website, otimizando-as para a conversão é uma boa estratégia que deve ser usada em simultâneo com o tornar das zonas do site que geram mais tráfego, clicáveis, ou seja, adicionar por exemplo links às mesmas.

Uma boa página fornece aos utilizadores a informação que pretendem mas também os incita a agir.

5) Ir além do “mobile friendly”

Os sites devem ser visíveis e navegáveis num dispositivo móvel. Devem ter “mobile usability” para evitar as taxas de rejeição por parte dos utilizadores dos mesmos. Se o website tem tráfego mobile, que todos têm nos dias que correm, não se pode pensar apenas no mobile friendliness, é necessário pensar no mobile usability. Sem o mobile usability, as taxas de rejeição aumentam exponencialmente.

Reduzir as taxas de rejeição, bounce rates, aumenta as taxas de conversão, o SEO e o CTR bem como a posição nos resultados de pesquisa. No fundo, são uma das mais importantes métricas para o sucesso de um website, ainda que pouco consideradas.

 

Descubra outros artigos, como este, no nosso blog e acompanhe todas as novidades nas nossas redes sociais Facebook e Instagram!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos relacionados